Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Educacao Superior > Simulação como ferramenta de ensino
Início do conteúdo da página

Simulação como ferramenta de ensino

Publicado: Quarta, 13 de Julho de 2022, 12h42 | Última atualização em Terça, 19 de Julho de 2022, 16h39 | Acessos: 1551

A Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO) prepara, há mais de um século, oficiais intermediários do Exército e forças coirmãs para os desafios e conflitos que os líderes militares contemporâneos enfrentarão. O itinerário formativo aplicado na EsAO emprega, integralmente, os conceitos do "ensino por competências", reconhecidamente considerados eficazes no meio acadêmico.

A despeito da qualidade desta metodologia, a Escola enfrenta relativa estagnação quanto ao emprego de ferramentas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) aplicadas ao ensino. Desde a inauguração do Pavilhão General Ayrosa, ao final da década de 1990, não houve significativa mudança nos aspectos relacionados ao uso da tecnologia no processo ensino-aprendizagem.

A implementação do "ensino assistido por tecnologias digitais" é uma necessidade dos estabelecimentos de ensinos modernos, fruto da evolução exponencial desta área do conhecimento. Assim sendo, a EsAO precisou alinhar-se a este conceito para continuar mantendo a excelência no aperfeiçoamento dos seus capitães-alunos, uma vez que seus discentes pertencem a uma geração que demanda o uso das ferramentas de TIC de forma natural e crescente.

O Cmdo EsAO tem envidado esforços, nos últimos anos, na pesquisa do Sistema de Simulação Construtiva (COMBATER) como metodologia ativa de aprendizagem ("learning by doing") voltada ao ensino. Tais estudos corroboraram a hipótese do uso eficiente do COMBATER como ferramenta de validação e aperfeiçoamento das linhas de ação (LA) durante o Exame de Situação do Comandante Tático, com aplicação direta em todos os cursos da Escola.

A implantação da simulação como ferramenta de ensino foi apresentada à Diretoria de Ensino Superior Militar por intermédio de um estudo de viabilidade que foi realizado em 04 OUT 21 (DIEx Nr 6733 - EsAO). Para a execução deste estudo, foram solicitadas licenças temporárias sem custo à empresa MASA do Brasil, bem como realizados orçamentos preliminares que coadunassem com a implementação do COMBATER em um laboratório de simulação aplicado ao ensino na EsAO. Neste contato, foi possível também conhecer o software "SWORD/Análise", programa em desenvolvimento pela empresa que permite fazer análises estatísticas dos enfrentamentos, agilizando os processos comparativos das LA. Tal aplicativo se mostrou altamente vantajoso pela perspectiva pedagógica.

 

 figura 1                                                                                                                                  

Figura 1 -  Interface do software "SWORD/Análise" da MASA

 

Ainda em 2021, a implantação foi aprovada pelo DECEx e houve o apoio integral do por parte do COTER, mediante o fornecimento das licenças do COMBATER. Foi montado na Divisão de Doutrina e Pesquisa um laboratório para experimentação e pesquisa doutrinária para modificações de QO das OM do EB. O laboratório de simulação vicejou a execução do “Jogo da Guerra”, visando apoio à decisão da melhor Linha de Ação dos Comandantes de Unidade. A EsAO contou com o apoio da expertise do CA-Leste na condução de atividades de simulação, em proveito da capacitação do seu pessoal, do 1º e do 5º CGEO, para a vetorização das cartas.

 

Figura 2- Apresentação das atividades do laboratório de simulação para o Ch DECEx

 

 

Figura 3- Aluno do C Inf apresenta a manobra lançada no COMBATER ao  Ch DECEx

 

 No início do corrente ano, o Comando de Operações Terrestres após tratativas realizadas pelo Ch DECEx e Cmt EsAO, repassou 7 licenças de treinamento (conexão) e 1 licença de Desenvolvedor do software COMBATER. Dessa forma, foram realizadas as atividades de análise das linhas de ação dos C Inf, C Cav e C Art no módulo Ofensiva, contribuindo para o aperfeiçoamento do ensino aprendizagem realizado nos temas em sala de aula e ratificados por meio da ferramenta COMBATER no laboratório de simulação. Ainda esse ano serão realizados as análises das linhas de ação dos C Inf, C Cav e C Eng no módulo de Defensiva. Destaca-se que o COTER contribuiu com mais uma licença do servidor, propiciando o uso simultâneo da ferramenta por mais de um curso em um mesmo tema, o que contribuirá para o emprego das armas combinadas.

 

Figura 4- Tema de ofensiva do C Inf com os insumos do COMBATER 

 

 Figura 5- Apresentação do tema dos alunos do C Art

  

Em 11 de maio deste ano, a EsAO representou o DECEx na 1ª Reunião Técnica de Interação de Ensino (RTIE), destinada à apresentação de melhores práticas de educação no âmbito das escolas das Forças Armadas. A EsAO foi selecionada para apresentar a atividade de simulação construtiva voltada ao ensino, conduzida desde o ano passado, em um evento realizado na Escola de Guerra Naval, presidido pelo Departamento de Ensino do Ministério da Defesa.

 

 

Figura 6- Apresentação da EsAO na 1ª RTIE, ocorrida na EGN

 

O emprego do COMBATER, em sua plenitude, permitirá que este Estb Ens se torne um dos aliados do Comando de Operações Terrestres (COTER) no aperfeiçoamento das inconsistências existentes nos banco de dados do software, aproximando a simulação construtiva da realidade do terreno, do emprego de tropas em condições meteorológicas adversas e do preconizado na Doutrina Militar Terrestre. Igualmente, pode-se afirmar que, ao fim do ano de instrução, todo corpo discente e docente da EsAO estará familiarizado com a operação do COMBATER, o que, de certo, facilitará e difundirá a simulação construtiva no âmbito do Exército Brasileiro (EB).

 

Figura 7- Manobra do Curso de Cavalaria

  

O Comando da EsAO, com o apoio da DESMil e do DECEx, elaborou nos últimos anos o projeto de readequação das estruturas do Pavilhão General Cardoso de Aguiar, com a finalidade de proporcionar aos capitães alunos da EsAO um espaço destinado à Simulação Construtiva. O projeto concebido compreende a implantação da infraestrutura e dos meios necessários de forma a aplicar novas metodologias de transmissão de conhecimento, com base em sistemas de simulação, que estarão voltadas para o ensino, objetivando a criação de um ambiente com as ferramentas e as condições necessárias para complementar o processo de ensino-aprendizagem, inclusive avaliações, empregando tecnologias que incluem linguagem computacional, inteligência artificial (IA) e internet das coisas, com a finalidade de fortalecer o ensino por competência por meio da educação ativa e integrada.

Ainda em andamento, o projeto permitirá que nos próximos anos a Escola da Tática conte com uma estrutura que comportará cerca de 120 alunos para realizarem a análise de suas linhas de ação dos temas táticos. Nesse cenário, o corpo discente poderá realizar a análise de suas linhas de ação comparando diversos fatores como velocidade, tempo, degradação de poder de combate, consumo de munição dentre outros fatores que contribuirão para a escolha da linha de ação mais próxima da Diretriz de Planejamento (DIPLAN) e intenção do Comandante.

 

Figura 8 Artigo Desmil  Figura 9 Artigo Desmil 
 

Figura 8- Estrutura atual do Pavilhão

General Cardoso de Aguiar

 

Figura 9- Planta baixa do pavilhão de

simulação construtiva

 Figura 10 Artigo Desmil  Figura 11 Artigo Desmil
 

Figura 10- Salas que permitirão os trabalhos dos

grupos na simulação construtiva

 

Figura 11 - Sala que permitirá o trabalhos da DIREx nos

exercícios de simulação construtiva

 

Por fim, a simulação construtiva aplicada ao ensino na EsAO constitui-se em importante instrumento para o aprimoramento das atividades educacionais em proveito dos capitães alunos. Até o presente momento, ensejou a realização de temas táticos de ofensiva em proveito dos cursos de Infantaria, Cavalaria e Artilharia com o emprego do COMBATER. Como boa prática do que já foi realizado, menciona-se a retificação de manobras consideradas como “a solução da casa” graças à utilização das funcionalidades do sistema. Destarte, a simulação permite à EsAO incrementar o aperfeiçoamento dos seus capitães e, ao mesmo, contribui para o desenvolvimento da Doutrina Militar Terrestre.

O Pavilhão de Simulação Construtiva permitirá consolidar ainda mais tal atividade no âmbito da Escola, vicejando um centro de excelência em termos de simulação construtiva aplicada ao ensino.

Além dos recursos destinados ao projeto do Pavilhão, a EsAO necessita de recursos humanos, particularmente:

  1. 1 oficial com curso de programação nas linguagens LUA, C e C++ (empregar a licença de desenvolvedor para alterar comportamento da tropa); e
  2. 1 Sgt topógrafo (autonomia na vetorização de cartas).

 

PLANTA BAIXA DO PROJETO DESTINADO À CONSTRUÇÃO DO PAVILHÃO DE SIMULAÇÃO CONSTRUTIVA 

 

 

PLANTA BAIXA DO PROJETO DESTINADO À CONSTRUÇÃO DO PAVILHÃO DE SIMULAÇÃO CONSTRUTIVA

                                                             

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página